sábado, 21 de maio de 2016

EMBRIAGUEZ

(à Cindy Silva Cossolin)

É assim: entre nós repousa sempre
a garrafa gelada de cerveja...
e aos poucos a pálida clareza
da vida, foge-me, completamente.

Ela ri, brinda, brinca, sempre atenta
aos copos cheios e à garrafa vazia
e se acaso a tristeza se anuncia
uma nova garrafa se apresenta.

O movimento avança noite adentro,
as coisas vêm e vão ao mesmo tempo
que as garrafas os copos engravida.

O paradoxo está que a bebedeira
mais que a incerteza, me traz a certeira
amizade maior que a própria vida.

8 comentários:

  1. Gente, que lindo! Muito Obrigada Professor.

    ResponderExcluir
  2. Ótimo poema. Mto boa dedicatória à Cindy.

    ResponderExcluir
  3. Top... diz td. Parabéns mto talento 👏👏👏👏👏👏👏

    ResponderExcluir
  4. Top... diz td. Parabéns mto talento 👏👏👏👏👏👏👏

    ResponderExcluir